Israel: Ataques pelo Hamas aconteceram apenas um dia depois do aniversário de 50 anos da Guerra do Yom Kippur (Imagem: REUTERS/Ilan Rosenberg)

Vimos com grande espanto no último sábado, 7 de outubro, mais um capítulo do conflito entre Israel e Palestina, após ataques vindos do grupo islâmico Hamas. Mais de cinco mil mísseis foram disparados e milhares de mortos já são contados.

Os ataques pelo Hamas aconteceram apenas um dia depois do aniversário de 50 anos da Guerra do Yom Kippur, quando uma coalizão de países tentou dar fim à Israel. Nada mais restou a Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, do que responder com declaração de guerra.

Vendo esse background e a estrutura do conflito armado, você deve estar se perguntando o motivo para isso estar sendo dito numa coluna de tecnologia.

Poucos sabem, mas boa parte do desenvolvimento da ciência em Israel é com base na tecnologia. Grandes empresas do ramo têm sua base ou foram fundadas no país, especialmente em Tel Aviv.

A bolsa americana Nasdaq é onde são negociados os papéis de companhias de tecnologia como Apple, Microsoft, Amazon, Alphabet (Google) e tantas outras. E na Nasdaq, hoje, temos 168 empresas de Israel listadas. Israel é o sétimo país com mais representação na Nasdaq e compõe 2% do total do número de companhias listadas.

Mesmo que a porcentagem seja baixa, muitas empresas que são listadas lá são gigantescas e moldam parte da atividade de tecnologia a nível mundial.

Um bom exemplo disso é o famoso aplicativo de GPS, o Waze. Ele foi criado em 2006 em Israel e hoje faz parte do conglomerado da Alphabet, holding do Google.

Esse é só um exemplo, mas temos dezenas de outros que mostram o tamanho do desenvolvimento tecnológico israelense. Empresas como o Wix, plataforma de criação de websites, o Monday, plataforma de cloud para gestão de projetos… Isso para citar algumas das mais conhecidas. Temos ainda outbrain, IronSource Mobile, Taboola, entre outras.

Isso mostra como Israel é uma parte protagonista do desenvolvimento e da criação de soluções que facilitam, contribuem e incentivam a pesquisa e o crescimento tecnológico.

Israel é muito conhecido pelo turismo religioso para as três principais religiões mundiais e tem uma importância histórica gigantesca, mas poucos sabem do destaque que o país tem em sua estrutura de desenvolvimento social, fomentação da pesquisa no campo da ciência e tecnologia em diversas áreas.

Boa parte da sede dessas empresas fica em Tel Aviv. Com toda a certeza, o conflito armado que se instaura de forma mais severa na região levará a uma diáspora delas e até mesmo de novos talentos que venham a desenvolver essas ferramentas atuais ou criar novas soluções que podem beneficiar a humanidade.

A abrangência que esse conflito trará para o atraso no desenvolvimento tecnológico não pode ser mensurada. Mas, mais do que isso, neste momento, o mundo pede a paz entre os povos para que o desenvolvimento da sociedade continue.



Fonte