O sertanejo Bruno, da dupla com Marrone, foi denunciado ao Ministério Público de São Paulo por transfobia, após sua conduta durante uma entrevista com a repórter trans Lisa Gomes, da RedeTV!. Nessa segunda-feira (29/5), segundo a Revista Quem, a Associação LGBTQIA+ entrou com um pedido de tutela de urgência juntamente requerendo a suspensão das atividades musicais do cantor por 90 dias com uso de tornozeleira ou prisão preventiva.

“Tomamos conhecimento que o Bruno já não é mais primário. Ele é reincidente por crime semelhante e indenizou a vítima em R$10 mil. A impunidade é muito grave porque dá possibilidade a ele e aos seus ‘parças’ de fazerem o mesmo. Então, representando a Associação dos LGBTIQA+, optamos por tomar uma medida mais drástica. Será que ele está fazendo por maldade ou achando que pagando R$10 mil vai resolver e ficar impune?”, questionou o advogado Ângelo Carboni, em conversa com a revista.

Ainda de acordo com o advogado, foi aberta uma ação criminal a pedido dos LGBTs (e já foi admitido pelo MP-SP) para processar e condenar Bruno. “Quando se entra com um inquérito criminal, manda-se para o Ministério Público. Se a instituição acha que a denúncia é inconsistente, não dá continuidade. No entanto, o MP percebeu que os LGBTs têm esse direito. Agora, através da GECRADI, pedimos a tutela de urgência para que esse criminoso tenha as atividades musicais suspensas por 90 dias com uso de tornozeleira ou até a prisão preventiva”, explica.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2

0

“Ele já cometeu crime semelhante e não deu nada. Pagou R$10 mil e nada ocorreu. Agora fez de novo e não vai dar em nada? Uma mesa para assistir a um show dele custa R$100 mil. O que é R$10 mil para ele? Daqui a pouco eles não vão só agredir, vão matar os LGBTs! Não podemos aceitar! Será que é justo permitir que pessoas como esse sujeito fiquem impunes?”, questionou.

Relembre o Caso

No dia 12 de maio, Bruno foi entrevistado pela repórter trans Lisa Gomes, durante um evento. Minutos antes da entrevista, o cantor, de forma invasiva, questionou se ela tinha um pênis. “Você tem ‘pau’?”, perguntou.

Desconfortável com a pergunta, a jornalista ainda rebateu o cantor: “Como assim?”. O sertanejo enfatizou a pergunta transfóbica, sem se importar com o impacto que isso poderia causar: “P**oca”, disse.

Após o episódio, Bruno utilizou as redes sociais para se retratar. “Eu estou aqui para pedir desculpas para a Lisa Gomes, pelo que eu perguntei para ela. Fui totalmente infantil, fui totalmente inconsequente. Eu acho que não tem como voltar no tempo e quero pedir perdão para ela. Perdão, Lisa Gomes”, disse o cantor sertanejo.





Fonte