Menos de 10% das pessoas com doença de Chagas recebem um diagnóstico, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). A identificação precoce do agravo é fundamental para evitar o agravamento da doença que pode levar a comprometimento cardíaco e digestivo.

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fornece ao Ministério da Saúde um teste para diagnóstico da doença de Chagas, trabalha no desenvolvimento de novas alternativas, principalmente na utilização da plataforma de teste rápido e acesso a novos antígenos.

Um exame está registrado e dois novos testes estão em fase avançada de desenvolvimento, de acordo com o vice-diretor de Reativos para Diagnóstico de Bio-Manguinhos, Antonio Ferreira.

“Neste momento, estamos em fase final dos preparativos para disponibilizar os primeiros lotes de kits de teste rápido (TR Chagas – Bio-Manguinhos), fruto de uma parceria com o Instituto Molecular do Paraná. Ainda nesta plataforma de diagnóstico estamos em etapa avançada de um segundo kit, com nova estratégia, por meio de colaboração com o Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fiocruz para a utilização de uma proteína obtida por uma nova técnica de engenharia recombinante”, destaca Ferreira em comunicado da Fiocruz.

De acordo com a Fiocruz, um terceiro kit, utilizando três proteínas recombinantes comerciais, está em processo de padronização visando ampliar o leque de opções e a formação de um algoritmo de testagem para as situações de triagem e confirmação sorológica da doença nesta plataforma.

Ferreira explica que esforços também estão sendo direcionados para a disponibilização em larga escala do teste na plataforma Elisa, tradicional para exames de diagnóstico. “Esta é uma plataforma com grade capacidade de processamento de amostras, inclusive com possibilidade de automação, contudo restrita a ambientes laboratoriais”, diz.

Doença de Chagas

A doença de Chagas, ou tripanossomíase americana, é uma infecção transmitida pelo inseto barbeiro, infectado com o protozoário Trypanosoma cruzi. Na natureza, a espécie é representada por uma diversidade de parasitos que circulam entre homens, vetores, reservatórios silvestres e animais domésticos.

Na fase aguda e nas formas crônicas da doença de Chagas, o diagnóstico pode ser realizado pela detecção do parasito causador da infecção por meio de métodos laboratoriais de visualização do parasito direta ou indiretamente e pela presença de anticorpos no soro, por meio de testes específicos.

O tratamento da doença de Chagas deve ser indicado por um médico, após a confirmação da doença. O remédio, chamado benznidazol, é fornecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para as pessoas na fase crônica, a indicação desse medicamento depende da forma clínica e deve ser avaliada caso a caso.



Fonte