Elon Musk afirma que precisou comprar o Twitter, com receio de medidas judiciais (Imagem: REUTERS/Adrees Latif)

Elon Musk descreve seus primeiros seis meses à frente do Twitter como uma “montanha-russa”. O segundo homem mais rico do mundo, que comprou a rede social por US$ 44 bilhões, concedeu entrevista à BBC News e fez um balanço do primeiro semestre.

À BBC, Musk respondeu a diversos questionamentos sobre o processo de compra e polêmicas que giraram em torno da aquisição e primeiros meses à frente da rede social. Nas palavras do próprio Musk, todo o processo parecia uma novela.

  • Entre para o Telegram do .! Acesse as notícias que enriquecem seu dia em tempo real, do mercado econômico e de investimentos aos temas relevantes do Brasil e do mundo.

O empresário, que também é dono da Tesla e SpaceX, afirmou que venderia o Twitter se encontrasse a pessoa certa, que seja “tão engajado pela liberdade de expressão quanto ele”.

Balanço dos seis meses de Twitter

Em um recorte da entrevista, Musk falou sobre as quedas no site e questões com o algoritmo do Twitter, demanda de trabalho, saúde financeira da companhia e onda de demissões que promoveu logo em sua chegada.

Questionado sobre dormir no escritório, Elon Musk afirmou que, às vezes, faz isso. No entanto, destacou que não ocorre sempre, visto que não está no escritório do Twitter cinco dias por semana.

A pergunta se relaciona com a repercussão gerada após notícias de que trabalhadores remanescentes após sua chegada dormiam no escritório para atender toda a demanda de trabalho.

“Não tem sido monótono. Tem sido uma montanha-russa. Acho que as coisas estão indo razoavelmente bem. […] O uso aumentou, o crescimento é bom, o site funciona, em sua maior parte”, disse sobre os primeiros seis meses como dono do Twitter.

Sobre o financeiro da companhia, Elon Musk apontou que está próximo de atingir o “break even point”, ou seja, o ponto de equilíbrio entre despesas e receitas. Ainda neste tópico, afirmou que assumiu a companhia em um estado financeiro delicado, em que as demissões em massa foram necessárias para o corte de custos.

Ao ser questionado pelo jornalista sobre as demissões realizadas logo que assumiu a companhia, Musk respondeu que demissões foram, sim, aleatórias e apontou que uma empresa vai à falência se custos não são cortados imediatamente.

“Esta não é uma situação de cuidado ou indiferença. Se o navio inteiro afundar, ninguém terá um trabalho”, afirmou.

Elon Musk comprou Twitter por obrigação

Pela primeira vez em uma entrevista, Musk admitiu que comprou o Twitter por obrigação.

Musk afirmou que o grande problema com a compra do Twitter realmente foi o apresentado na época, em que o número de usuários declarados publicamente era maior do que o número de usuários reais

Questionado diretamente sobre se havia comprado porque achou que um tribunal o obrigaria a isto, Musk respondeu que “Sim. Essa foi a razão.”

“Era algo que precisava ser feito. É muito difícil, eu diria que o nível de dor no Twitter é bem alto. Não tem sido uma festa, os últimos meses têm sido muito estressantes. Tem sido muito doloroso. Mas, fora a dor, acho que, no fim, era algo que precisava ser feito”, disse sobre a compra da rede social.



Fonte