Ter um animal de estimação pode transformar a vida de uma pessoa. Traz alegria para a família, muda a energia da casa e cria um novo sentido de companheirismo. Mas, adotar um pet é uma responsabilidade que deve ser levada muito a sério, pois essa decisão não afeta apenas a vida do animal, mas também dos novos tutores. 

Por esse motivo, existem algumas regras que devem ser seguidas para garantir que a adoção seja bem-sucedida para todas as partes envolvidas. Conheça algumas delas e descubra se você já está pronto para essa importante decisão.

A coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera, Jenessa Martinez, comenta que em primeiro lugar é importante escolher um animal que se adapte ao seu estilo de vida. “Antes de adotar, é importante considerar a sua rotina diária e escolher um animal que se adapte bem a ela. Por exemplo, se você trabalha longas horas fora de casa, um cachorro que precise de muita atenção pode não ser a melhor escolha. Já um gato se torna uma ótima opção, por serem mais independentes e se adaptarem bem quando ficam algum período sozinhos”, pontua.

Adotar um pet é uma responsabilidade importante que requer comprometimento, planejamento e dedicação (Foto: reprodução)

Conforto, espaço e custos

Outra regra é ter um espaço suficiente em casa para o animal. Para se manterem saudáveis e felizes, é muito importante que eles tenham um local onde possam se mover, explorar, com estímulos necessários para brincar e conforto na hora de dormir. No caso dos cães, é preciso lembrar da atenção diária, seja um passeio pela rua, uma ida ao parque ou até mesmo aquele momento de brincadeiras dentro de casa. 

É importante também pensar no planejamento financeiro para cuidar do animal. Além dos custos com alimentação e idas ao pet shop para banhos e tosas, os pets também exigem cuidados regulares, como vacinas, visitas ao veterinário, remédios e possíveis emergências e imprevistos. Antes de adotar, certifique-se de que você pode arcar com todos esses investimentos. 

Se você não mora sozinho, lembre-se de garantir que todos os membros da família estejam prontos para receber um novo animal em casa. Converse sobre a sua responsabilidade como tutor e se haverá divisão de tarefas, dos custos e cuidados com o bichinho. Pets requerem dedicação e tempo, por isso é importante que todos estejam cientes e comprometidos com a adoção. 

Adoção responsável

Por fim, se já está certo sobre a decisão, escolha uma organização de adoção confiável. Faça pesquisas, verifique avaliações em sites ou redes sociais e certifique-se que o local tenha um histórico de boas práticas de adoção e cuidados com os animais. “Ao adotar por meio de uma ONG, você terá acesso a informações fundamentais, como o histórico médico do animal. Também é importante manter um contato contínuo com a equipe do local para acompanhamento da adaptação do pet e orientações sobre possíveis dúvidas”, conclui Jenessa. 

Com milhares de animais na fila da adoção, esse ato se torna um gesto de amor. Mas, é importante lembrar que essa é uma responsabilidade importante que requer comprometimento, planejamento e dedicação. Seguindo essas regras, você pode garantir uma adoção bem-sucedida, que trará felicidade e carinho ao tutor e ao pet.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Psicóloga realiza pesquisa sobre fatores de risco para a saúde mental dos veterinários

Desafios do diagnóstico e tratamento da hipersensibilidade alimentar

CFMV regulamenta atuação de profissionais em resgate de animais em casos de desastres





Fonte