Web 3.0: de onde veio, qual seu objetivo hoje e para onde irá? (Imagem: Pixabay/ Joshua Woroniecki)

Ultimamente, o assunto Web 3.0 tem sido muito comentado pelo público em geral, tanto ao nível empresarial quanto ao nível de usuários da rede, e muitas dúvidas têm sido levantadas sobre o tema.

Pontos de vista diferentes, ideias, projeções e análise do passado da rede. De onde veio, qual seu objetivo hoje e para onde irá?

Esse é um tema que chama a atenção de todos, já que boa parte das pessoas passa o dia todo conectado.

Então, afinal de contas, o que é a tal Web 3.0?

Narriman França, do departamento de criptoativos da Empiricus Research, idealizou um vídeo no Instagram falando sobre o tema em 18 de janeiro desse ano e já conta com 18,6 milhões de visualizações em poucos mais de 2 meses.

Isso, em uma rede social que tem por foco outras discussões, liga o sinal de alerta a respeito do que as pessoas procuram e qual assunto é a pauta de discussão na rede hoje. E é disso que iremos falar.

A web como conhecemos já passou por diversas reformulações e focos. Muitos especialistas dividem suas fases e, em um resumo bem direto, o maior consenso é que em cada uma delas, o objetivo da rede era diferente e sempre foi expandindo.

Na Web 1.0, o objetivo era conectar o usuário com a informação. Na Web 2.0, o objetivo era conectar pessoas com marcas. Tanto que tivemos a explosão das redes sociais no começo dos anos 2000, e que são um fenômeno até hoje. Claro, a rede mais usada sempre mudou, mas o cerne do que é a rede social ficou até hoje.

E o que isso teria a ver com a conexão de pessoas e marcas? É na pluralidade de acesso e quantidade de pessoas em redes sociais que as empresas centralizadas vendem produtos baseados em sua base de dados.

Você já recebeu a oferta daquele tênis que queria minutos após ter pesquisado sobre ele ou seguido a marca em alguma rede social? Então, é dessa forma que se dá a conexão.

E finalmente, na Web 3.0, o objetivo é ampliar a conexão além de pessoas com pessoas, mas com lugares e serviços e até mesmo objetos usando IoT (Internet das Coisas).

Mas a palavra que define a Web 3.0 é a descentralização

Na base dessa nova visão de web, a ideia de que os dados não são mais gerenciados, armazenados e manipulados por apenas uma companhia, e sim a rede de forma colaborativa, se mantém. Como isso? Utilizando a estrutura de Blockchain.

Blockchain, de forma simples, é uma base de dados que une blocos de informações que não podem ser editados. Isso cria uma linha do tempo irreversível na rede, o que torna a informação única e permite ver e saber onde e quando cada bloco de informações foi criado e armazenado.

Nesse princípio de Blockchain, temos então a informação saindo das mãos de grandes corporações da Web 2.0, em troca de prestação de serviço.

Na era da Web 3.0, a centralização da informação é coisa do passado. Agora, a informação está descentralizada e disponível em toda a rede. Isso significa que você tem muito mais controle sobre a propriedade dos seus dados. Não é apenas uma questão de postar, mas também de gerenciar seus dados de forma mais efetiva.

Embora possa parecer trabalhoso, as vantagens do gerenciamento de dados são praticamente infinitas. Por exemplo, agora você pode definir o valor monetário do seu conteúdo.

Essa descentralização da Web abre possibilidades incríveis para o futuro da informação na rede. Torna o acesso à informação mais plural e diminui as barreiras para a evolução da tecnologia.

Além disso, a descentralização da Web possibilita que todos participem do movimento, o que significa que você não precisa mais esperar que uma empresa lance uma nova ferramenta. Você mesmo pode criá-la e disponibilizá-la na rede. Com isso, todas as mentes estão abertas a oferecer novidades e a contribuir para a evolução da tecnologia.

Na era da Web 3.0, a pesquisa não será mais limitada ao Google. A informação estará disponível na rede, independente do seu detentor. Isso facilitará o desenvolvimento mais profundo de inteligência artificial, por exemplo, já que o acesso à informação não será mais restrito a uma única empresa. Toda a estrutura de informação possível estará disponível na rede.

A Web 3.0 é um avanço tecnológico que veio para ficar. É a forma mais democrática de acesso ao conhecimento e uma verdadeira revolução na comunicação e conexão que já presenciamos até o momento.

* Jonatas Souza é analista de suporte na Empiricus, entusiasta em resolver problemas de TI, desenvolvedor Python e Java e escritor de ficção por hobbie. Possui dois livros publicados e o terceiro em desenvolvimento.



Fonte