É inegável que as redes sociais revolucionaram as nossas vidas, os hábitos de consumo e a forma como marca e público se relacionam. As gerações mais jovens, principalmente, têm nas telas dos smartphones uma fonte quase inesgotável de entretenimento e conexão.

E ter uma presença forte nas redes sociais permite à marca estar onde os seus consumidores estão, mas se “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”, qual é o nosso papel na construção de um ambiente digital mais saudável para as gerações de agora e do futuro?

Se é nas mídias sociais que crianças e adolescentes estão construindo seu senso de identidade e comunidade, como podemos – e devemos – contribuir para um ambiente digital mais inclusivo?

Como marca, Dove vêm levantando a bandeira da beleza sem padrões e se posicionando a favor de retratarmos imagens sem distorção digital, e isso é só um exemplo de como marcas podem usar as redes sociais para gerar uma mudança realmente positiva na vida de milhões de pessoas. Em um mundo no qual se fala cada vez mais sobre a importância do propósito, as marcas serão julgadas pelo legado que elas se propuserem a deixar para os que vierem depois. 

E qual o legado estamos ajudando a construir? Podemos ou virar os olhos para essa realidade ou encarar o desafio – e a oportunidade – de sermos protagonistas dessa revolução digital. E que seja para melhor.






Fonte