“WWDC23 será o nosso maior e mais emocionante até agora, e mal podemos esperar para ver muitos de vocês online e pessoalmente neste evento muito especial!” disse Susan Prescott (Imagem: Unsplash/Laurenz Heymann)

A Apple Inc. marcou a data de 5 de junho para o evento em que planeja revelar um fone de ouvido de realidade mista, o primeiro grande produto novo desde o lançamento de seu smartwatch, oito anos atrás.

A empresa agendou sua Conferência Mundial de Desenvolvedores anual, mais conhecida como WWDC, para começar na segunda-feira e terminar na sexta-feira, 9 de junho. Ela normalmente usa o primeiro dia da conferência para discutir suas plataformas e sistemas operacionais de última geração. A conferência deste ano será realizada como uma “experiência de dia inteiro” na sede em Cupertino, Califórnia.

“WWDC23 será o nosso maior e mais emocionante até agora, e mal podemos esperar para ver muitos de vocês online e pessoalmente neste evento muito especial!” disse Susan Prescott, vice-presidente de relações com desenvolvedores da Apple.

  • Entre para o Telegram do .! Acesse as notícias que enriquecem seu dia em tempo real, do mercado econômico e de investimentos aos temas relevantes do Brasil e do mundo. 

O ponto central da agenda desta vez será o fone de ouvido, provavelmente apelidado de Reality One ou Reality Pro , informou a Bloomberg News. A Apple também apresentará o sistema operacional xrOS que o acompanha e uma maneira de os desenvolvedores escreverem aplicativos para o dispositivo.

O anúncio da conferência no site da Apple apresenta obras de arte representando o campus do Apple Park, mas não sugere o próximo fone de ouvido. A empresa também planeja lançar as próximas versões de seus sistemas operacionais iPhone, iPad, Mac e Apple Watch no evento. A conferência normalmente apresenta novos recursos de software para Apple TVs, AirPods e HomePods também.

A estreia do dispositivo impulsionará a Apple para o mundo da realidade mista, uma categoria ainda nascente que custou bilhões de dólares à Meta Platforms Inc. e, até agora, não conseguiu se tornar popular.

A Apple está tentando se destacar dos rivais com um produto de ponta que pode custar cerca de US$ 3.000 e inclui muitas tecnologias nunca vistas antes em dispositivos de consumo. O fone de ouvido usará uma combinação de controle visual e manual, contará com uma App Store integrada e oferecerá FaceTime baseado em realidade virtual, versões 3D dos principais aplicativos da Apple e streaming de vídeo imersivo.

O produto da Apple incluirá várias câmeras externas e combinará realidade virtual e aumentada. Isso permitirá que os usuários mergulhem em seu conteúdo ou apertem um botão para ver simultaneamente os arredores enquanto usam o fone de ouvido.

A tecnologia de realidade mista de outras empresas demorou a pegar, então a Apple terá que fazer um argumento persuasivo de por que sua abordagem é superior. A WWDC pode ser o palco ideal para tal anúncio, dada sua multidão pró-Apple e a ampla oportunidade para os desenvolvedores explorarem a tecnologia durante a conferência de uma semana.

No início deste mês, a Apple realizou uma série de demonstrações do novo aparelho para o que é conhecido como Top 100, os cerca de 100 executivos mais importantes da empresa.

O evento marcará o primeiro lançamento de produto da Apple no ano, após o adiamento de um anúncio planejado para o fone de ouvido. No início do ano, a empresa anunciou novas versões do MacBook Pro, bem como um alto-falante HomePod atualizado, sem um evento no palco. A empresa também planeja lançar novos Macs nos próximos meses, incluindo seu primeiro modelo Mac Pro sem processadores Intel Corp. e um MacBook Air com tela maior.

O fone de ouvido de realidade mista pode levar anos para se tornar um sucesso, mas servirá como mais uma plataforma para os desenvolvedores da Apple venderem seus aplicativos e conteúdo. A empresa está planejando vários recursos para integrar o fone de ouvido com outros produtos da Apple, incluindo o Mac e o iPhone. Isso poderia ajudar a levar os desenvolvedores a expandir seus softwares existentes para a nova plataforma. O acordo também representa uma oportunidade de receita adicional para a Apple, que corta até 30% nas vendas e assinaturas de aplicativos.

A Apple também pode usar a conferência para estabelecer as bases para as próximas mudanças em seus sistemas operacionais para cumprir a Lei de Mercados Digitais e outras leis futuras destinadas a controlar seu poder. A empresa está planejando uma versão futura do iOS 17 para oferecer suporte a lojas de aplicativos externas e mais interoperabilidade com serviços de terceiros, informou a Bloomberg News.



Fonte