Os competidores da maratona nos Jogos Olímpicos de Paris 2024 correrão do centro de Paris a Versalhes e vice-versa, em um percurso projetado para saudar as mulheres e traçar um dos principais eventos históricos da Revolução Francesa.

A rota da maratona revelada nesta quarta-feira (5) foi modelada no caminho da Marcha das Mulheres de outubro de 1789 em Versalhes, quando milhares de pessoas, principalmente mulheres comerciantes furiosas com o preço do pão, marcharam até o luxuoso palácio do rei Luís XVI.

Elas o forçaram a retornar com os manifestantes ao centro da capital em um evento que os historiadores dizem que acabou com o poder absoluto da monarquia.

“Estamos tentando dar algum significado aos nossos acontecimentos e escolher este curso foi uma boa maneira de fazê-lo”, disse o chefe de Paris 2024, Tony Estanguet, à Reuters. “Nós realmente queremos inovar.”

Pela primeira vez desde que as mulheres começaram a correr a maratona olímpica em 1984, as atletas concluirão o programa de atletismo, com a corrida feminina ocorrendo um dia após o evento masculino.

“Nosso país proclama alto e bom som que o esporte de alto nível deve mais do que nunca ser uma fonte de inspiração para todas as gerações, ao mesmo tempo em que impulsiona a participação em massa”, afirma a ministra do Esporte da França, Amélie Oudéa-Castéra.

O percurso da maratona passará por monumentos parisienses, incluindo a Torre Eiffel, o Museu do Louvre, a Ópera Garnier, os Jardins das Tulherias e várias pontes mundialmente famosas.

“Sem dúvida, a maratona de Paris 2024 terá algo especial. Atuar em um cenário tão impressionante, em um lugar tão carregado de história e simbolismo, será uma experiência única”, apontou o bicampeão olímpico e recordista mundial Eliud Kipchoge.



Fonte