Mãe do estudante João Gabriel, de 16 anos, Mariana Cardim se mostrou indignada com a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em conceder habeas corpus ao modelo Bruno Krupp. O influencer deixou a prisão de Bangu 8, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (29/3), e responderá em liberdade por atropelar e matar o menino no ano passado.

“A sensação que eu tenho é que a vida do meu filho não valeu de nada”, afirmou Mariana ao portal G1, dizendo ainda que a soltura do modelo é um “desrespeito” com a vida de seu filho:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6

0

“É um desrespeito com a vida do meu filho, comigo, que tenho tentado me reinventar, me ressignificar.”

Em foto divulgada pelo advogado do modelo, Krupp aparece rindo ao deixar a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro. Veja:

Bruno Krupp

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a soltura do ex-namorado da influenciadora Sarah Pôncio após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) conceder habeas corpus ao modelo, que está preso desde agosto do ano passado.

O ministro Rogério Schietti Cruz alegou que não há motivos para manter a prisão preventiva do modelo e que Krupp é réu primário, portador de bons antecedentes e está preso há oito meses. O magistrado destacou ainda, na decisão, que a revogação do mandado de prisão não altera o curso do processo.

Bruno Krupp deverá usar tornozeleira eletrônica, comparecer em juízo no início de todo mês, está proibido de deixar o país sem autorização judicial e deverá entregar seu passaporte à Justiça. Além de ter o direito de dirigir suspenso.

Relembre

Uma das perícias realizadas na moto do modelo Bruno Krupp, que atropelou e matou o adolescente João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, apontou que o veículo atingiu, em dois pontos, ao menos, uma velocidade de 126,1 e 136,3 km/h. O limite máximo permitido na via da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, é de 60 km/h.

O adolescente e a mãe haviam acabado de sair de uma festa e pretendiam colocar os pés na areia antes de voltar para casa. João Gabriel tentou correr para o calçadão quando notou a moto em alta velocidade, mas não conseguiu atravessar, sendo atingido em cheio.





Fonte