A médica ítalo-argentina Julieta Lanteri, primeira mulher a votar na Argentina e na América do Sul, é destaque do doodle, do Google, nesta quarta-feira (22). A homenagem do portal celebra os 150 anos da defensora dos direitos das mulheres, que trabalhou em busca de melhorias para a saúde.

Julieta nasceu neste dia na Itália em 1873, mas sua família mudou para a Argentina quando ela tinha apenas seis anos. Pioneira, ela se tornou a primeira mulher a frequentar a Escola Nacional de La Plata, depois estudou farmacologia na Universidade de Buenos Aires. Ela se formou em medicina em 1907 – sendo uma das cinco primeiras mulheres na Argentina a conquistar o feito.

Ao longo de 13 anos, viajou regularmente à Europa, onde se dedicou ao trabalho em hospitais, agregando aprendizado sobre saúde para mulheres e crianças.

Direitos das mulheres

Além de suas habilidades como médica, Lanteri também foi sufragista. Em 1910, ela ajudou a organizar o primeiro Congresso Internacional de Mulheres. No ano seguinte, ela obteve a cidadania argentina e se tornou a primeira mulher a votar na América do Sul ao votar nas eleições do Conselho Deliberativo. Após essa conquista, a Lei Eleitoral foi alterada para exigir o serviço militar – apenas homens podiam se alistar.

A médica criou seu próprio partido político, a União Nacional Feminista, e concorreu ao cargo de deputada nacional de 1919 a 1932. A plataforma do partido defendia o sufrágio universal, igualdade de gênero, condições justas de trabalho, auxílio-creche, benefícios de maternidade e muito mais.

As mulheres argentinas obtiveram o direito oficial de voto em 1947.

(Com informações do Google)



Fonte