Um casal de pica-paus certamente ficou arrasado depois que um técnico de controle de pragas, em um procedimento de rotina, encontrou uma enorme coleção de nozes habilmente escondidas nas paredes de uma casa na Califórnia, nos Estados Unidos.

Os proprietários da casa no Condado de Sonoma chamaram Nick Castro, proprietário da empresa de controle de pragas Nick’s Extreme Pest Control, quando avistaram vermes saindo da parede de um dos quartos.

Eles acabaram por ser larvas de farinha se servindo do banquete de bolotas – a noz produzida por carvalhos –, que acredita-se ter sido reunido por um par de pica-paus de bolota apropriadamente nomeados.

“Foi realmente estranho. Eu nunca tinha visto minhocas comendo bolotas antes”, disse Castro à CNN. Mas a estranheza estava apenas começando.

 

Depois de fazer um pequeno buraco de 10 centímetros na parede, Castro disse que as bolotas começaram a cair. Isso por si só não seria muito incomum, mas “elas continuaram chegando”, disse.

“Foi incrível ver a quantidade”, disse Castro. Ele estima que havia cerca de 300 quilos de bolotas, provavelmente coletadas entres os últimos dois a cinco anos.

Frequentemente, os pica-paus armazenam nozes do lado de fora das casas, às vezes em calhas de chuva, mas raramente as colocam dentro. Nesse caso, Castro descobriu que os pássaros jogavam seus tesouros por um buraco na chaminé e entravam no sótão por um buraco separado para se alimentar do seu estoque.

“Todos os dias posso ver coisas estranhas, como as formas criativas pelas quais os bichos conseguem entrar nas casas”, disse Castro. “Eles ainda podem nos enganar de vez em quando.”

/ Reprodução/ Facebook

Quando elas caíram do sótão, dezenas de milhares de nozes colhidas de vários carvalhos próximos encheram a cavidade das paredes da casa, explicou Castro.

Mas essa estranha descoberta levou o incomum a um nível totalmente novo para o homem que trabalha na indústria de controle de pragas há mais de 20 anos.

“Em uma escala de 1 a 10, isso é um 10. É uma chance em um milhão de encontrar algo tão significativo”, disse Castro. “Eu esperava encontrar alguns punhados, nada disso.”

Foi necessário criar mais três buracos nas paredes da casa para remover todas as bolotas, que se acumularam formando pilhas de cerca de 6 metros de altura, estimou Castro.

Castro e sua equipe de três pessoas passaram um dia inteiro extraindo as nozes.

“Enchemos oito grandes sacos pretos de lixo. Eles eram tão pesados ​​que mal podíamos carregá-los”, disse Castro. “Eles deviam pesar pelo menos 45 quilos cada.”

As bolotas foram jogadas fora porque estavam cobertas de excrementos e pedaços de fibra de vidro do isolamento da parede.



Fonte